Mitos dos 2 tempos

Mito 1 Fiabilidade : Diz-se que os 2 tempos são menos fiáveis que os 4 tempos.

Normalmente comparam-se motos 250 cc a 2 tempos com motores 450cc a 4 tempos , ou motores 500 cc 2T com motos 1000 4T com potencia idêntica.

Comparem 2 motores com a mesma cilindrada e a mesma potencia, um a 4 Tempos e outro a 2 Tempos e verifiquem .

penso que ninguém tem duvidas que um Motor 250 cc 2T e 40 HP tem custos inferiores de manutenção que um Motor 250 cc com os mesmos 40 Hp a 4 tempos.

Mito 2 , Consumo :  os Motores a 2 Tempos consomem mais que os Motores 4 Tempos.

Proponho que testem um motor 2 tempos injecção directa com sistema Fitch , Orbitral ou Axys CleanFire face a um motor 4 tempos da nova geração.

O que normalmente comparamos são motores 2 Tempos com uma tecnologia de meados do século passado com motores 4 tempos com uma tecnologia actual. Se pegar-mos num exemplo com quase 15 anos Kawasaki STX 1100 DI 130 hp 2 Tempos Sistema Fitch vs Yamaha FX 140 hp 4 tempos do mesmo ano verificamos que o motor da Kawasaki consome menos Gasolina e surpreendentemente também consome menos Óleo.

Com sistemas informáticos mais fiáveis penso que faz todo sentido o aparecimento de novos motores de 2 tempos .

O Motor 2 Tempos por concepção é Fiável , é perfomante , é leve , é simples o que torna a manutenção económica.

Os Motor 2 tempos aplicando as tecnologias actuais também podem ser limpos e económicos .

Os Motores de Injecção directa 2 tempos , a injecção de combustível só se dá depois do piston tapar a janela de escape , o que evita perca de combustível.

Num motor 2 tempos da nova geração,  apenas existe ar e não uma mistura ar combustível como nos motores convencionais , por isso não existe  lavagem ,pelo que o óleo que lubrifica os pontos importantes do motor , se mantém no cárter sendo mínimo o que sobe pelos  transferes para a câmara de combustão ,um motor Fitch ou Orbital estima-se que gaste 1 litro de óleo por cada 500 litros de gasolina, com a vantagem de poder usar óleo biodegradavel ao contrario dos motores 4 tempos que também consomem óleo , o qual  não é biodegradavel ,bem como  ainda há a necessidade de reciclar os óleos das mudanças de óleo e manutenção .

Excerto do site http://cripplerooster.blogspot.pt/2011/03/motores-2-tempos-uma-opcao-que-vem.html
“Ainda existe a possibilidade de se extrair de um motor 2-tempos aspirado uma potência específica igual ou superior à de um 4-tempos de cilindrada equivalente com turbo, componente que ainda tem um custo bastante elevado e acaba demandando alterações mais profundas no sistema de refrigeração do motor. Para efeitos de comparação, o motor da General Motors citado anteriormente entrega uma potência específica de 130hp/l e torque de 18kgfm/l, enquanto a empresa australiana Orbital Engines, que vem desenvolvendo sistemas avançados de injeção direta para motores 2-tempos, já vem desenvolvendo protótipos que alcançam os 200hp/l e 16kgfm/l sem recorrer ao turbocompressor – apesar do torque 12,5% superior no 4-tempos, mas considerando que os sistemas da Orbital vem sendo mais empregados na indústria motociclística (em parcerias com a austríaca KTM, as italianas Piaggio e Aprilia, e a indiana Bajaj) até não é um número tão desprezível devido às motos normalmente terem uma relação entre potência e torque diferente. Importante lembrar que, se atualmente as motos superesportivas tem atingido valores elevados de potência específica, em torno de 90% do valor alcançado pelo 2-tempos da Orbital, isso se deve mais ao aumento dos regimes de rotações que a qualquer evolução mais significativa – logo sacrificando a durabilidade dos motores e o torque.

450px-Arbeitsweise_Zweitakt
Motor 2 tempos funcionamento
800ho-engine
Novo Motor Polaris CleanFire 800 cc 160 hp 2 tempos

Outro bom exemplo é o motor TSS1100GP, da australiana Two-Stroke Shop, que atinge 220hp a 9500RPM contra 188hp a 12000RPM na Kawasaki Ninja ZX-10R, ao mesmo tempo que entrega o dobro dos 12kgfm da moto japonesa, apesar da cilindrada ser apenas 10% superior – sendo assim, já passa dos 20kgfm/l – sem tantos recursos eletrônicos de gerenciamento como são disponíveis na Kawasaki, e que devido ao uso dos interessantes cabeçotes toroidais se tornaria incompatível com a injeção direta desenvolvida pela Orbital. Mas o mais interessante é o TSS1100GP pesar 25kg a menos que o 4-tempos tomado por referência. E, apesar de ser um motor motociclístico até que não teria um desempenho insatisfatório num automóvel convencional de porte médio ou mesmo num sport-utility como a Chevrolet Captiva Sport, que na versão básica tem potência de 180hp e 23,8kgfm de torque…” 800-ho-engine
dyno_results
images
images1